top of page
  • Carol Benke

O mundo virou minha casa: minha experiência como nômade digital até agora

Não vou mentir nem romantizar, eu não larguei tudo para viajar, e essa ideia também não veio do nada.


Há anos eu acompanhava alguns profissionais que admiro, como o Matheus de Souza, e essa história do nomadismo digital sempre me pegou. Mas, ainda não tinha chegado o momento.


Tinha planos de ir pra Europa, veio a pandemia. Em 2022 me mudei para o Rio de Janeiro e fui morar sozinha pela primeira vez. Eu estava tão feliz que a ideia de sair de lá nem passava na minha mente.


Em 2023, tive a oportunidade de ir para Cartagena e, além de me divertir horrores, vi que era possível viajar e trabalhar sim. Até porque a viagem não tinha sido planejada com antecedência e eu precisei dividir os meus dias entre trabalho e passeios.


E foi aí que tudo começou.


Primeira parada: Santiago


12 de setembro de 2023 eu embarquei para o meu primeiro destino.


Reservei minha casa pelo Airbnb, planejei alguns passeios para aproveitar a neve nas cordilheiras e pesquisei algumas coisas para fazer.


Mesmo assim, eu mal imaginava que conseguiria fazer amizade logo na primeira semana, falar espanhol tranquilamente, amar tomar Terremoto, me apaixonar por Viña del Mar e viver tudo que vivi.



Como o horário não mudava, minha rotina de trabalho era basicamente a mesma, e olhem o cantinho fofo onde eu passava grande parte do meu dia:



Aprendendo o significado de "viajar é uma coisa, morar é outra" em Buenos Aires


Depois de viver um mês cheio de novidades e aventuras em Santiago, eu estava pronta e animada para ir para Buenos Aires.


Eu já conhecia a cidade e amava, o que poderia dar errado, né?


Bom… eu confesso que achei muito mais difícil fazer amizades com pessoas locais e estabelecer uma rotina "normal" por lá, eu acabei me sentindo um pouco sozinha no dia a dia. 


Não me entenda mal: eu amo a cidade, os restaurantes são ótimos, a cotação no peso na época estava valendo muito a pena, recebi visita de pessoas especiais e também conheci pessoas por lá. 



Acredito que o que faltou foi o sentimento de "casa", sabe? Depois de ter me sentido tão acolhida no Chile, eu me vi "sozinha" pelo mundo de verdade. 


Mesmo assim, eu morro de saudades de Buenos Aires e ainda quero voltar mais vezes - mas, como turista mesmo.


Ah! E uma dica que eu dou para quem for pra lá como nômade ou turista é se inscrever no programa "Tesoros Argentinos". Com ele, você pode ganhar pontos e trocar em experiências. Eu, por exemplo, fui em alguns restaurantes, fiz limpeza de pele (estava precisando hahaha) e uma aula de cerâmica.


Conhecendo um novo mundo no México


Depois de Buenos Aires, voltei para o Brasil por uma semana só para encontrar a minha mãe e ir para Miami tirar férias.


Alguns meses antes, eu estava pensando para onde poderia ir depois dessas férias e a ideia de ir para o México surgiu.


Passei um mês entre Cancún, Tulum e Playa del Carmen.


Cancún eu achei bem turístico e recomendo mais para quem quer tirar uns dias tranquilos relaxando em um resort.


Tulum foi a estrela da viagem, me apaixonei pela cidade assim que pisei lá. Além das praias lindas, o centro da cidade é super gostoso e a vibe desse lugar é simplesmente indescritível.


Em Playa del Carmen eu achei fácil estabelecer uma rotina e dava para fazer tudo a pé, o que facilita muito a vida de uma nômade. 



O México me surpreendeu. Eu estava animada antes de ir, mas, eu estava ainda mais animada vivendo o meu dia a dia por lá e já aproveito para deixar um spoiler: quero voltar para conhecer outras partes do país ainda esse ano.


Voltando para onde essa ideia começou: Colômbia


Em fevereiro, desembarquei em Santa Marta, na Colômbia. 


Depois de um tempo pesquisando e conversando com muitas pessoas que gostam de viajar, Santa Marta sempre aparecia no meio, e não é atoa, tá? 


A cidade em si é simples e pequena, não tem uber e, se você não fica no centro, as coisas acabam ficando mais longe, sabe? Mas, a melhor parte é que tem lugares incríveis por perto, como: Minca, Palomino e Tayrona.



Eu aluguei um apartamento em um condomínio que tinha tudo que eu precisava, e passava a semana basicamente trabalhando e vivendo a vida normal. Nos finais de semana, eu aproveitava para ir conhecer esses lugares que falei.


Depois de um mês por lá, me mudei para Medellín, uma das cidades mais queridinhas pelos nômades digitais. 


Aqui, as coisas são bem diferentes: tem metrô, é fácil se locomover, os lugares aceitam cartão sem cobrar taxa… 


Eu ainda não consigo dar uma opinião final, mas, até agora, estou gostando.


A Colômbia é um país maravilhoso, as pessoas são amigáveis e eu acho a vibe muito parecida com o Brasil, sabe? Muito bom estar aqui.


E quais são meus próximos passos?


Se tem uma coisa que eu aprendi nos últimos anos, principalmente nos últimos 6 meses, é que tudo realmente pode mudar de um dia para o outro.


Por isso, eu me desprendi da ideia de planejar muitos meses à frente. Estou com minha passagem para o próximo destino comprada, e fico lá por dois meses. Depois disso? É claro que tenho algumas ideias, mas ainda não posso garantir nada.


E posso falar? Viver assim tem sido muito legal e emocionante. 


Se quiser me acompanhar e saber mais sobre as minhas viagens, me segue lá no Insta: @carolbenke.

Comments


bottom of page