• Carol Benke

Antes de tudo, finja até conseguir!

Você já ouviu algo parecido com “finja até conseguir”?


Essa expressão, muito famosa no mundo dos negócios, vem do inglês fake it until you make it, e nos convida a ser/fazer algo que ainda não somos, até conquistarmos o nosso real objetivo.


Conheço essa técnica há um tempo, mas, foi um IGTV da maravilhosa Maria Chady essa que me inspirou a escrever sobre o tema para você.


Pode parecer loucura, eu sei, mas realmente funciona. Afinal, são nossas atitudes que determinam nosso sucesso ou fracasso.


Nesse sentido, se a gente começar a se basear em uma pessoa, empresa, atitudes e afins que nos inspiram, nós vamos passar a agir cada vez mais parecidos com aquele modelo até que, então, a gente se torne aquilo que tanto desejamos.


Nós não nascemos sabendo fazer tudo. Para a gente mudar ou começar algo, precisamos nos guiar em algo, certo? É aí que entra a importância do fingir até se tornar.


Superando a síndrome do impostor

Quando começamos alguma coisa, apesar de nos sentirmos motivados, é super normal que a gente passe pela síndrome do impostor, ou seja, não nos acharmos o suficiente para realizar alguma coisa.


Porém, quanto menos nós acreditamos em nós mesmos, menos coisas nós conseguimos conquistar.


Por essa razão, é tão importante que a gente encontre meios para acreditarmos em nós mesmo, como essa técnica de fingir até conseguir.



Mas, como fingir até se tornar?

Fingir algo até estar realmente realizando vai alinhar seus comportamentos com seu objetivo, fazendo com que você acredite naquilo e comece a experimentar mesmo antes de realmente conquistar. Sua mente vai se acostumar com o que você quer, e vai acelerar o processo de conseguir.


Sendo assim, avalie o que você precisa alinhar para "fingir" sua conquista? Sua comunicação, suas roupas, seus comportamentos...?


Traga para a realidade aquilo que ainda não existe!


Quando eu comecei a trabalhar com criação de conteúdo e comunicação, por exemplo, não tinha certeza do que estava fazendo. Então, comecei a acompanhar pessoas que me inspiravam e ler livros que me ajudavam, inserindo algumas coisas na minha rotina como se eu já fosse uma super produtora de conteúdo.


PS: É claro que isso não é uma desculpa para sairmos copiando alguém e levando mérito pelas ideias dos outros. Se inspirar não é copiar, ok?


Para entender um pouco mais sobre essa técnica, dá o play nesse TEDx (maravilhoso):



E aí, faz sentido pra você?


Espero que gostem e finjam até conseguir!


Com amor, Carol ❤️